Daisypath Anniversary Years Ticker

Terça-feira, 30 de Junho de 2009

Oh yes. Just fuck me !

 « Isso, isso mesmo, exibe-te para mim! Toca bem nesse caralho duro! »

Ele exibiu-se, ele tocou-se, assisti à sua mão a movimentar-se incansavelmente de cima para baixo, de baixo para cima, acariaciava-se ora suave, ora bruscamente, eu juntava alguma saliva aquela dança que ardia, sob a forma de chamas nos meus olhos. Pude ouvir o seus gemidos a serem abafados e a dispersarem pelo ar, pude ver os seus olhos a fecharem de quando em quando, quem sabe a imaginar-me (quem sabe?). E aquilo excitou-me, ai excitou-me muito. Fiz o mesmo. Deixei-o ver como o meu corpo ondulava, como os meus dedos entravam e saiam, como o meu olhar se fixava no caralho dele, como ele era o meu objecto de desejo.
Chupei, deliciei-me, saboreei, mordisquei, sufoquei, mergulhei nas ondas do seu prazer, lambi, rodopiei. Engoli-o na minha boca devagarinho, fingindo vergonha, depois mais profundamente, à velocidade do seu desejo.
 Ele olhou para mim de uma maneira mais do que óbvia, estava louco: « Salta em cima de mim puta! »
Obedeci, afastei as pernas e vi o seu caralho a desaparecer dentro de mim, enterrou-se tão fundo, senti-o apertado, aquecido por mim. Suspirei, prazer. Começei, cavalguei em cima dele, senti os seus dedos nos meus mamilos, a sua língua a percorrer-me enquanto lhe dava prazer. Continuei, batia com força contra ele, encharcada, tocava-lhe nas bolas como se o meu polegar lá desenhasse círculos, gritava, gritava de desejo, de satisfação. 
Quando dei por mim estava inclinada sobre uma secretária atafulhada de folhas e o seu corpo chocava contra o meu com investidas que me furavam, me rasgavam, me iam matando aos poucos. Ele segurava nos meus ombros puxava-os para trás, fodia-me como se eu fosse uma cadela e ele estava ali para me possuir. Batia-me, palmadas umas a seguir das outras, gritos, suor. Puxava-me os cabelos para trás, estava a montar-me, a domar-me, eu vibrava, tremia de prazer, um misto de sensações, tanta tesão.
Libertei, vim-me uma, duas três, quatro vezes assim, de mãos apoiadas no chão, de rabo espetado para ele, realmente empinado, de pernas bambas, tonta por me arrombar não só corpo, mas a alma.
 
 « Ajoelha-te, quero me vir nessa tua cara linda »

Ajoelhei, chupei outra vez, senti o sabor da minha cona, gostei, quis mais. Eu bati, ele bateu. Gozou para cima de mim, e eu? Deixei escorrer, delícia...

 

tags: ,

publicado por Leticia às 21:59
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

.A Wendy :)


. ver perfil

. seguir perfil

. 19 seguidores

.pesquisar

 

.Outubro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.Posts recentes

. Oh yes. Just fuck me !

.Arquivos

. Outubro 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

.tags

. todas as tags

.Favoritos

. Última Deixa.

. Diário...01/06/07

.Eu digo (L)

Image and video hosting by TinyPic
SAPO Blogs

.subscrever feeds